procura-se.

Não sei por onde anda minha melhor amiga.  Ela costumava me fazer rir, estar sempre bem disposta, satisfeita consigo mesma mas nunca acomodada com o mundo. Ela era uma daquelas poucas pessoas que conseguem passar por cima de um problema apenas pensando “hoje é um outro dia”.  Nos primeiros dias em que ela sumiu todo mundo pensou que fosse só preguiça de sair de casa, que na outra semana ela apareceria na nossa mesa num bar contando uma piada suja ou rindo de um cara qualquer. Mas ela não apareceu.

Não tenho tanta certeza se ela vai voltar, porque eu sei o motivo dela ter ido embora. Entre risadas  e amigáveis tapinhas nas costas os sonhos dela foram esmagados. Palavras foram ditas com a força de um tornado e tudo o que ficou pra trás foi um rastro de perda e insegurança. Talvez ela tenha viajado para um lugar onde dão valor aos que têm coragem de fazer o que querem. Tomara que seja um lugar bem longe daqui, onde haja mais palavras de compreenssão e não de dúvida. 

Um lugar em que é preciso chorar pra cair no sono não é bom pra se viver. Se eu pudesse sairia daqui também, mas não tenho coragem. Minha coragem foi embora junto com minha melhor amiga.