ESTRATEGIA DO GREGO STRATEEGIA

que bom

Galera que loucura esse negocio de “””guerra civil””” no RJ não é mesmo? Foguete de ônibus queimado, bomba de prego no olho é, o negócio lá não ta brincadeira não. E pensar que isso é só uma comemoraçãozinha porque o Flamengo não caiu pra segunda divisão viiish.
Então vou fazer uma lista do que pode e não pode fazer nessa época ~conturbada~ ok fiquem ligadinhos:

Continuar lendo

Anúncios

diversão no domingo.

E aí, humanos, gostaram do tema novo? Eu juro que não fiz essa head no paint, é que o wordpress fode tudo. Mas tudo bem, porque eu achei que ficou tudo lindinho , e espero que voces tenham gostado \o/ E se não tiverem gostado não vou mudar, porque dá muito trabalho, bj.

Entãão, agora que vocês já se divertiram muito com a cara dos seu amiguinhos que foram pegar uma DSTENSA no carnaval, vou ensiná-los a se divertirem com super opções deseducativas que temos no domingo.

Faustenso

A primeira opção do domingo, é ,claro, o Domingão do Faustão! O programa que não tem fim! Sim, porque você liga a tevê na hora que acorda e esse gordo (que está ficando magro) já tá lá, te dando bom dia, com aquele sotaque paulista. Aí começa o futebol, você pensa que acabou,  mas TCHARAM ele volta pra te buscar, socorro.  Aí tem as atrações imperrrdíveis, né: Os ex-bbb futuros anônimos vão mostrar o quanto são gente boa, uns estranhos imitando hilariamente umas bandas, o Balé do Domingão que dança até jingle de sabão em pó, o Dança no gelo, Dança no Circo, Dança dos Famosos, Dança do diabo a quatro. Tem também a garagem do faustão, o Arquivo Confidencial (onde os atores fingem que lembram dos amiguinhos de maternal da escola), o ÉPICO Se vira nos 30 e, claro, as INÉDITAS video cassetadas de 1989, da época em que casamento gravava em VHS e a música tocava na fita, que tinha lado A e B.

Continuar lendo

Como apresentar um programa de moda

Eu tava assistindo o pograma local Tudo de Bom, (sim, tudo de bom é o nome do programa Q) e essa apresentadora fez a alegria da minha tarde.

 Primeiro ela falava muito errado, coisas tipo “Se você não usa biquíni, aqui na Terra  Caju você também encontra maiôres(seria o plural de maiô *ouve os gritos de nãããão!*)” e segundo porque ela era hiláária comentando as roupas, ela simplesmente descrevia as roupas como se eu fosse cega, e. Por isso, você, que não vai passar no vestibular, que não sabe o que fazer da vida, eu tenho a solução! 8) Amiga, se joga, fica bonita, investe em silicone e botox e paquera com um dono de emissora local de tevê , consegue um programa de moda e segue esses passos pra ser uma apresentadora ma-ra-vi-lho-sa!

 1- Use palavras como ‘super‘, ‘ma-ra-vi-lho-sa‘, ‘adoro‘, ‘fashion‘ e afins.

 2- Fale errado, mas não muito errado como erros do tipo ‘nós vai, nós vem‘, mas um errado chique, como ‘esses natais’ e ‘roupas de luxos’. Coisinha básica.

3- Sorria muito. Sorria seeempre que puder. Se a roupa for bonita, sorria. Se nao for, sorria também. Se o microfone der choque, sorria ainda mais e faça algo tipo ‘haha, vamos para os comerciais :’D

4- Ligue para as lojas mais badaladas da cidade e diga que vai mostrá-las na tevê de graça. Aí quando você for super famosa comece a cobrar para elas mostrarem os modelitos no seu programa MUHAHAHA.

 5- Palpite sobre todas as roupas que aparecerem na sua frente. E não esqueça de usar as expressões mágicas!

 Agora que você já sabe a teoria vamos para a prática. Veja e aprenda -n.

 Gemtem, esse modelito tá suuper em alta. Esse vestidinho curto, tomara que caia rosa, um rosa mais claro, muito fofo, dá esse ar mais…fofo na roupa! E aí tem o blazer branco que dá um ar mais sério e quebra com a cor, e fica incrível, eu adoro! E pra finalizar, tem o sapato vermelho berrante, que chama a atenção e deixa muito fashion, acho maravilhoso.

 Pronto, agora podem ser felizes ou não HA!

rir pra não chorar

Sabe como você percebe que riu pra não chorar? Quando na hora que ri, você automaticamente balança a cabeça de um lado pro outro em sinal de negação. É um riso de desgosto.

Senhores políticos, o que os senhores pensam? Que estão imunes às críticas? Que estão acima da lei de qualquer suspeita? Que o povo que escolheu vocês nessa utópica democracia vá defendê-los até o fim, custe o que custar, aconteça o que acontecer? Não.

De todos os casos de desvio de dinheiro público, mensalões e mensalinhos, lobbys e extorções, esse  atual escândalo que envolve José Roberto Arruda, assusta  ainda mais pelo cinismo exarcebado. Cinismo nas imagens, onde rios de dinheiro vivo são carregados assim, na mão, à vista de qualquer um que entre no gabinete de Durval.  E tudo beira ao cômico, ao ridículo. Uma senhora aparentemente igênua, daquelas que sorriem pra você no elevador, entra na sala e superlota sua bolsinha com centenas de notas de dinheiro. Sabe aquela cena de Meu nome não é Jhonny, onde a velhinha trafica drogas,   e chama de ambrosia? É tipo isso; O evangélico agradece à seu Deus pela bênção o dinheiro sujo, porque sabe como é né, O Senhor é o pastor e nada faltará. Só a vergonha na cara.

 Cinismo também nas explicações: quanto mais o excelentíssimo José Roberto Arruda tenta se defender, mais piora sua situação.  “Oh, eu não peguei aquele dinheiro, a culpa é da câmera que esquentou e esfriou demais“. Depois: “Ah, o dinheiro foi pra comprar panetones pra familias pobres” que bom coração ele tem. É tudo manobra da oposição pra difamá-lo, gente, coitadinho ele não tem culpa. “Queremos expressar nossa indignação pela trama que estamos sendo vítimas, engendrada por adversários políticos“. As vítimas são eles então? Desculpe, mas eu não sou idiota

E muitas vezes me recriminam quando eu digo que se deve cortar o mal pela raiz. Como uma imagem vale mais que mil palavras, aqui vai minha mensagem final:

mania nacional

Hoje teve jogo do Brasil.

Essa frase poderia ser perfeitamente   ambígua. Jogo de que, afinal? Mas por alguma razão, ela é perfeitamente clara. Jogo do Brasil,  simplesmente. Fica subentendido que se trata de futebol. Ou não.

O que eu quero dizer é que, o estereótipo do brasileiro que samba, joga futebol, adora o Ronaldo e anda pelado já está tão enraizado em nós mesmos, que nem nos damos conta.  Se hoje tem jogo na hora da aula, todo mundo reclama com a diretora pra sair mais cedo, os gerentes de banco ficam conectados nos sites de esporte que transmitem em tempo real o jogo, enfim,todos nós estamos, direta ou indiretamente, ligados a essa mania nacional.

Não que eu não goste de futebol, porque eu adoro. Só acho que isso não é tudo. Não é porque ganhamos mais copas que a Argentina que eles são pessoas ruins, e não é porque Maradona era chegado num baseado que todos os argentinos são. Não é porque meu vizinho é vascaino e eu torço pro Flamengo que eu vou começar a odiá-lo.  O futebol não é a  melhor coisa do Brasil, mas infelizmente parece ser a única lembrada e valorizada.
Você sabia que se juntarmos a Amazônia brasileira, os restos de Mata Atlântica e o Cerrado, teremos a melhor e maior diversidade biológica do planeta? Você sabia que o Parque Nacional da Serra da Capivara é o sítio arqueológico mais importante do país no ponto de vista da Teoria Pré-Clóvis?

Essas e muitas outras informações nunca são divulgadas porque estamos todos presos a uma visão estereotipada de Brasil. Então se alguem perguntar pra você por que voce ama o Brasil, por favor, não diga que é porque somos ótimos no futebol. Obrigada.