fábrica de modinhas.

Nunca gostei dessas ‘revistas para meninas’. Sempre achei inúteis de certa forma, bobas até. Não consigo ver qual a graça  em  fazer testes de amor, ler sobre namoro ou comprar uma revista só pra ficar vendo foto de ‘meninos bonitos’. Nunca vi graça, e provavelmente nunca verei. As poucas vezes que comprei um revista dessa foram naquelas em que idolos meus saíram na capa ou num poster exclusivo, e aí recotava as entrevistas e não lia o resto. Simples, prático.

Leila concorda comigo.

Acho que, revistas como a Capricho, Todateen e afins são fábricas de modinhas. Na hora de divulgar algo novo é quando pecam mais:  uma banda legal que ninguém conhecia, no outro dia já é a preferida de dezenas de garotas da sua escola, que sonham em casar com o vocalista cujo nome nem sabem pronunciar.
Isso não é de todo ruim, visto que com mais fãs, seu ídolo pode ir até um lugar mais perto de você, mas acho que essa divulgação é mal feita, de certa forma. Ao falarem de uma banda já induzem comparações, rotulam erronaemente, e muitas vezes não dão ênfase ao talento do grupo, mas à beleza.

E os fãs que já conheciam essa banda/esse ator/atriz/filme/livro ou sejá lá o que for, se sentem ofendidos quando vêem comparações sem sentido, informações mal passadas, e principalmente, quando não tratam com o devido valor aquilo que eles tanto gostam.

No fim das contas, a gente devia mesmo era ler uma crítica e assistir um documentário independente sobre a educação do país, sei lá.

Anúncios

v1d4 l0k

O que não falta no mundo agora é rapper.  E dos mais variados tipos: tem o bonzinho, o do mal, o que rouba banco, o que bate na Rihanna… Mas o fato é que eles conseguiram dominar os canais de tv e rádio. Eu estava assistindo o Top 10 de um canal de música e 6, SEIS, foram rappers. Não vou dizer que odeio esse tipo de música e que nunca ficaria 5 minutos numa festa que tocasse, porque é mentira. Acho que é um bom tipo de som pra você dançar e se animar, mas UMA HORA  CANSA! Toda hora surge um rapper novo, rapper albino, rapper indiano, rapper mirim, rapper vampiro. Então hoje eu vou analisar as músicas desses gênios que trazem dinheiro à indústria fonográfica, e aí vocês vão refletir e fazer um mundo melhor SNT.

1- Akon – Sexy Bitch


Se você é Playsson, vai pra night todo dia com seu carrão pegar todas, com certeza conhece e idolatra o Akon negão da Afrik.  Como um pouco e dois é bom, eles se juntou com um DJ amante de rappers, e saiu a música Sexy Bitch, mas como as crianças não podem ouvir essa palavra, é vendida como Sexy Chick. Uau. Sexy Chick. Mas é claro que as crianças podem ver o clipe educativo dessa música, que segue o modelo de mulher, treta, dinheiro, mulher, festa, mulher.

2-  50 cent – 21 questions


50 é o rapper chave de cadeia. Malandro é malandro, mané é mané, tá ligado? Mas de novo, o esquema mulher, dinheiro, treta, mulher aparece.  É uma fórmula simples e óbvia, e aí eu me pergunto: Será que SÓ EU CANSO DE VER SEMPRE ISSO? Perceba também as palminhas indispensáveis para um sucesso de rap, elas estão aí. Elas estão em todo lugar.

3- Lil Wayne – Lollipop


Observe a genialidade desse poeta: She said lick me like a lollipop. Me lambe como um pirulito.  E o clipe em si já diz: Curta a vida muito louco, torre seu dinheiro infinito numa limusine , é.

4-Chris Brown – With You


Chris Brown é o rapper bonzinho, que faz letras de amor, I don’t need money, I don’t need cars, girl, you’re my heart. Ele anda de busão e vive de amor, mas claro, não dispensa as palmadinhas. Ele deve ser tão amável né , gente?

Depois falam mal do Lapada na Rachada.

mania nacional

Hoje teve jogo do Brasil.

Essa frase poderia ser perfeitamente   ambígua. Jogo de que, afinal? Mas por alguma razão, ela é perfeitamente clara. Jogo do Brasil,  simplesmente. Fica subentendido que se trata de futebol. Ou não.

O que eu quero dizer é que, o estereótipo do brasileiro que samba, joga futebol, adora o Ronaldo e anda pelado já está tão enraizado em nós mesmos, que nem nos damos conta.  Se hoje tem jogo na hora da aula, todo mundo reclama com a diretora pra sair mais cedo, os gerentes de banco ficam conectados nos sites de esporte que transmitem em tempo real o jogo, enfim,todos nós estamos, direta ou indiretamente, ligados a essa mania nacional.

Não que eu não goste de futebol, porque eu adoro. Só acho que isso não é tudo. Não é porque ganhamos mais copas que a Argentina que eles são pessoas ruins, e não é porque Maradona era chegado num baseado que todos os argentinos são. Não é porque meu vizinho é vascaino e eu torço pro Flamengo que eu vou começar a odiá-lo.  O futebol não é a  melhor coisa do Brasil, mas infelizmente parece ser a única lembrada e valorizada.
Você sabia que se juntarmos a Amazônia brasileira, os restos de Mata Atlântica e o Cerrado, teremos a melhor e maior diversidade biológica do planeta? Você sabia que o Parque Nacional da Serra da Capivara é o sítio arqueológico mais importante do país no ponto de vista da Teoria Pré-Clóvis?

Essas e muitas outras informações nunca são divulgadas porque estamos todos presos a uma visão estereotipada de Brasil. Então se alguem perguntar pra você por que voce ama o Brasil, por favor, não diga que é porque somos ótimos no futebol. Obrigada.