fábrica de modinhas.

Nunca gostei dessas ‘revistas para meninas’. Sempre achei inúteis de certa forma, bobas até. Não consigo ver qual a graça  em  fazer testes de amor, ler sobre namoro ou comprar uma revista só pra ficar vendo foto de ‘meninos bonitos’. Nunca vi graça, e provavelmente nunca verei. As poucas vezes que comprei um revista dessa foram naquelas em que idolos meus saíram na capa ou num poster exclusivo, e aí recotava as entrevistas e não lia o resto. Simples, prático.

Leila concorda comigo.

Acho que, revistas como a Capricho, Todateen e afins são fábricas de modinhas. Na hora de divulgar algo novo é quando pecam mais:  uma banda legal que ninguém conhecia, no outro dia já é a preferida de dezenas de garotas da sua escola, que sonham em casar com o vocalista cujo nome nem sabem pronunciar.
Isso não é de todo ruim, visto que com mais fãs, seu ídolo pode ir até um lugar mais perto de você, mas acho que essa divulgação é mal feita, de certa forma. Ao falarem de uma banda já induzem comparações, rotulam erronaemente, e muitas vezes não dão ênfase ao talento do grupo, mas à beleza.

E os fãs que já conheciam essa banda/esse ator/atriz/filme/livro ou sejá lá o que for, se sentem ofendidos quando vêem comparações sem sentido, informações mal passadas, e principalmente, quando não tratam com o devido valor aquilo que eles tanto gostam.

No fim das contas, a gente devia mesmo era ler uma crítica e assistir um documentário independente sobre a educação do país, sei lá.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s